Blog Archive

Home
Pesquisa por: sucesso

Persistência x Teimosia por Prof. Heinz

Por Prof. Heinz

Como dizia o filósofo chinês Confúcio: “O homem superior não é apenas persistente. Ele é persistente no caminho certo”.

Através dessa reflexão, podemos entender porque muitas pessoas, apesar de investirem um alto nível de energia na conquista do que querem, não obtêm êxitos em suas empreitadas. Tais pessoas acabam desperdiçando sua preciosa energia por não colocá-la na direção certa. Assim, sempre acabam colhendo resultados negativos. Para esse comportamento podemos dar o nome de teimosia.

Mas como saber se estamos sendo persistentes ou teimosos?

A diferença entre teimosia e persistência é que o persistente, quando não colhe os resultados que quer, muda de estratégia. Já o teimoso insiste nela, obtendo, obviamente, os mesmos resultados. Em suma, o persistente é inteligente e o teimoso não. É claro que nem sempre é fácil mudarmos de estratégia. Para isso é fundamental sempre fazermos uma releitura do contexto que envolve a situação. Mas infelizmente a nossa tendência é usarmos uma experiência que já deu certo no passado, numa situação nova do presente. A parábola a seguir, ilustra bem essa situação:

Contam que certa vez, duas moscas caíram num copo de leite. A primeira era forte e valente. Assim, logo ao cair, nadou até a borda do copo. Mas como a superfície era muito lisa e ela tinha suas asas molhadas, não conseguiu sair. Acreditando que não havia saída, a mosca desanimou, parou de nadar e se debater e afundou.

Sua companheira de infortúnio, apesar de não ser tão forte, era tenaz. Continuou a se debater por tanto tempo, que, aos poucos o leite ao seu redor, com toda aquela agitação, foi se transformando e formou um pequeno nódulo de manteiga, onde a mosca tenaz conseguiu com muito esforço subir e dali alçar vôo para algum lugar seguro.

Tempos depois, a mosca tenaz, por descuido ou acidente, novamente caiu num copo. Como já havia aprendido em sua experiência anterior, começou a se debater, na esperança de que, no devido tempo, se salvaria. Outra mosca, passando por ali e vendo a aflição da companheira de espécie, pousou na beira do copo e gritou: “Tem um canudo ali, nade até lá e suba por ele” A mosca tenaz não lhe deu ouvidos, baseando-se na sua experiência anterior de sucesso e, continuou a se debater e a se debater, até que, exausta, afundou no copo cheio de água contendo um fraco veneno.

Quantos de nós, baseados em experiências anteriores, deixamos de notar as mudanças do ambiente externo e ficamos nos esforçando para alcançar os resultados esperados, até que afundamos na própria falta de visão? Lembre-se, o persistente é inteligente, pois muda de estratégia. O teimoso não.

Pense, Sinta e Aja. Sucesso nos seus desafios.

Prof. Heinz tem 22 anos de experiência como profissional de RH, empresário, consultor e instrutor. É palestrante nas áreas de motivação, vendas e liderança, diretor da Alfa Educação Corporativa Ltda. e autor do livro e DVD Atitudes de Resultado.

Visite o site: www.heinz.adm.br  –  E-mail: contato@heinz.adm.br

Confiança por Leila Navarro

Por Leila Navarro

Pensador de ciências políticas e econômicas afirma que confiança é um componente do capital social que chega a ser mais importante que o capital financeiro da empresa.

Quando comecei a tratar de forma mais específica o tema confiança, muita gente ficou surpresa acreditando que esse era um tema sério, complexo e polêmico demais para ser discutido por uma profissional reconhecida como irreverente e expert em automotivação, felicidade e sucesso. A grande dificuldade para algumas pessoas é entender que o alicerce para os temas que eu desenvolvo é justamente a confiança. Afinal, quais são os atributos que nos remete a uma pessoa automotivada, feliz e bem-sucedida? Autoconhecimento, o reconhecimento de seus próprios talentos e a utilização deles para realizar seus sonhos e cumprir o seu propósito de vida, são apenas alguns deles, certo? Isso seria possível se ela não confiasse em si mesma.

Vivemos em um mundo competitivo, repleto de tensões, no qual tudo muda rapidamente e ninguém sabe o que nos reserva o futuro. Nesse contexto, a maioria das pessoas considera impossível confiar uma nas outras, no amanhã, no mercado, nos projetos ou no governo. Tudo isso nos faz viver em permanente estado de alerta e adotar atitudes defensivas para não ser prejudicado nem passado para trás pela concorrência. A falta de confiança se estende a colega de trabalho, governos, instituições, projetos, empresas e mudanças. Enfim, qualquer coisa que possa representar algum tipo de ameaça à nossa estabilidade ou segurança. Assim, fazemos da desconfiança a muralha que nos separa dos perigos do mundo exterior.

Surge, então, um panorama contraditório. Enquanto a desconfiança nos aconselha a ficar nos limites do conhecido, a evitar riscos e a nos fechar para os outros, o mundo de hoje – especialmente no que diz respeito à carreira profissional – requer abertura para o desconhecido, coragem para arriscar e integração com as pessoas. O perfil de profissional que as empresas desejam contratar inclui iniciativa, flexibilidade, bom relacionamento e capacidade empreendedora. Essas características são de pessoas confiantes ou desconfiadas? Por outro lado, as empresas em geral também não confiam nem inspiram confiança.

A confiança é fator decisivo no desempenho de profissionais e organizações no mundo globalizado. Falta de confiança compromete o sucesso de qualquer pessoa ou empresa. No âmbito pessoal, retrai e isola as pessoas, impedindo que experimentem e arrisquem, restringe sua expansão. Segundo o pensador de ciências políticas e econômicas, o americano Francis Fukuyama, “confiança é um componente do capital social que chega a ser mais importante que o capital financeiro da empresa”.

No mundo corporativo vem se tornando uma necessidade emergente a implantação da Gestão por Confiança (GpC). Criado pelo professor José María Gasalla esse modelo de gestão visa à criação de relações de confiança entre as pessoas nas empresas, com benefícios para a produtividade, a inovação, a competitividade e a sustentabilidade da organização. Ele é sustentado pelas atitudes, competência, transparência, compromisso, cumprimento, consistência, coerência e cumplicidade, que surgem em resposta aos desafios do mundo moderno. Ante esse cenário, confiar é o oposto daquilo que o senso comum nos aconselha a fazer – é nadar contra a corrente. E, por incrível pareça, é justamente nadando contra a corrente que podemos chegar mais rápido e com menos esforço aos nossos objetivos. Em um mundo onde reina a desconfiança, quem confia se diferencia!

Leila Navarro é palestrante motivacional com reconhecimento no Brasil e no Exterior. Autora de 14 livros, entre eles, “Talento para ser Feliz”, “Talento à prova de crise” e “A vida não precisa ser tão complicada”.

Saiba mais no www.leilanavarro.com.br

 

A verdade nua e crua por Eduardo Tevah

Por Eduardo Tevah

Uma recente pesquisa feita com mais de 1.500 pessoas em empresas de pequeno, médio e grande porte mostrou um dado assustador: que 79% dos brasileiros não dão seu melhor no trabalho.

Se você é como eu, deve ter ficado assustado com esse número e refletido: nossa, que vergonha, que legião de pessoas tristes, sem sonhos, sem inspiração, pessoas que entram para trabalhar contando quantos minutos faltam para ir embora, que legião de pessoas trabalhando em locais aonde são infelizes, aonde não se sentem reconhecidos, aonde não se sentem valorizados. Sim, nada mais natural do que pensar assim.

Contudo, se você se der conta, talvez para você isso seja uma grande notícia. O Brasil vive um dos maiores ciclos de prosperidade da sua história, em pouco tempo nosso país já será a quinta maior economia do mundo. Nunca antes na história desse país surgirão tantas oportunidades e as empresas estão procurando e precisando loucamente de gente que faça a diferença. Esse é o melhor momento possível para você se destacar da multidão. E para isso basta uma simples decisão: experimentar seu máximo, fazer tudo que você sabe fazer, ter atitude!!!

A verdade nua e crua é essa: quem se determinar a ser o melhor que sabe ser, quem se determinar a viver cada dia de trabalho com paixão, quem não se economizar vai fazer uma revolução na sua vida e vai ter um futuro maravilhoso pela frente, dando para si e para as pessoas que dependem de você uma vida cada vez melhor.

Infelizmente muitas pessoas se economizam dizendo:
-Eu vou dar o meu melhor quando meu salário aumentar…
-Eu vou dar o meu melhor quando a empresa em que eu trabalhar me valorizar mais…
-Eu vou dar o meu melhor quando for promovido…

O problema é que ninguém avisou a essas pessoas que esse tempo provavelmente nunca vai chegar porque esse é um prêmio que a vida só dá para quem aprende a amar aquilo que faz hoje.

A verdade nua e crua é essa: quem dá seu melhor hoje provavelmente terá um futuro melhor.Quem não dá o seu melhor hoje provavelmente daqui a alguns anos estará na mesma posição e não terá seus sonhos realizados.

A verdade nua e crua que só você pode responder é essa:
Você tem dado o seu melhor?
Você tem experimentado seu máximo?

O que você tem apresentado no seu trabalho é todo o potencial que você possui?

Se a resposta é sim, fique tranqüilo, o tempo vai correr a seu favor. Mas se você com modéstia se der conta que não tem usado tudo que pode e tomar a decisão de mudar a partir de hoje, posso lhe garantir uma coisa: que hoje é o primeiro dia da melhor fase da sua vida, não importa a sua idade.

Eduardo Tevah